O ENDEREÇO DO MEDO NO BRASIL. Conheça a história oculta de alguns prédios e outras construções

Casa da Dona Yayá: onde Sebastiana de Mello Freire ficou trancafiada até a morte
Por trás de alguns edifícios, parques, igrejas e outros lugares turísticos de algumas cidades, existem histórias de dar calafrios. Uns dizem que são apenas lendas urbanas, outros acreditam que espíritos realmente vagam por determinados endereços principalmente nas madrugadas paulistanas.
Mito ou verdade, a questão é que muitos pontos guardam histórias, no mínimo, curiosas. Conheça algumas.Em 1920, Sebastiana de Mello Freire foi diagnosticada com sérios problemas mentais. O conselho do médico foi que toda a família se mudasse para um bairro mais tranquilo, onde a moça pudesse ficar afastada da agitação da cidade. No novo endereço do Bixiga, Sebastiana perdeu primeiro suas irmãs e, depois, seus pais. Sem família, a mulher permaneceu na residência apenas com uma empregada que se encarregava dos cuidados da enferma. Dizem que ela ficou trancafiada na própria casa por 40 anos, morreu louca e seu espírito nunca deixou aquele endereço. CASA DA DONA YAYÁ.

          Edifício Martinelli: loira assombra os corredores do lugar         Não é só o status de primeiro arranha-céu da América Latina que dá fama à construção na Sé. Uma moradora do além se tornou famosa na cidade e é conhecida por todos como a loira do Martinelli. Em meados dos anos 30, a jovem teria cometido suicídio no prédio e, desde então, não sai mais do local. Segundo a lenda, sempre no final do expediente, o fantasma da moça de cabelos claros e longos aparece para assombrar aqueles que estão no edifício.    EDIFÍCIO MARTINELLI.



Como todo teatro antigo, este também parece ter algo de mal-assombrado. Segundo a lenda, os espíritos dos artistas que se apresentaram nos palcos do Municipal perambulam pelas dependências do local. Vigias e funcionários que trabalham no turno da noite garantem já terem visto luzes acenderem, escutado o dedilhar no piano e percebido movimento nos camarins e no palco. TEATRO MUNICIPAL.

Castelinho da Rua Apa é rodeado por histórias de assombrações

A construção em condições precárias já foi residência de uma família da aristocracia paulistana. Também foi o local de um crime nunca solucionado pela polícia. No dia 12 de maio de 1937, Álvaro Reis matou seu irmão e sua mãe, tirando a própria vida em seguida. O fato misterioso é que este rapaz teria sido encontrado com duas balas na cabeça, algo pouco comum em casos de suicídio. A polícia acredita que existia uma quarta pessoa envolvida no crime, mas isso nunca foi comprovado. Alguns dizem que é melhor tomar cuidado ao passear pelo endereço de noite, já que a alma penada de Reis perturba aqueles que colocam os pés no que um dia foi o seu lar. O CASTELINHO DA RUA APA.


AS BRUXAS DO TERROR








EM NOITES DE LUA CHEIA OU EM NOITES DE TEMPESTADES AVASSALADORAS COM VENTANIAS DE 170 POR HORAS. SURGEM NAS PEQUENAS ALDEIAS DA TRANSILVÂNIA, AS MAIS BELAS E TERRÍVEIS BRUXAS DA ESCURIDÃO.
FORAM ENCONTRADOS VESTÍGIOS DA VERICIDADE DESTE QUE SERIA CONSIDERADOS UM  DOS CONTOS MAIS PERFEITOS DE TODOS OS TEMPOS PERANTE AQUELE POVOADO,  NAQUELAS REDONDEZAS SOMBRIA, FORA IDENTIFICADOS EM NOITES TEMPESTUOSAS COM ONDAS ENORMES, TRONCOS QUE SIMULAM GRANDES E GROTESCOS BRAÇOS ENVELHECIDOS TRAZENDO-AS ATÉ A COSTA DAQUELE LUGAR. 
 RELATADO  POR UM SOBREVIVENTE DAS BRUXAS DO TERROR, QUE ELAS SÃO MARAVILHOSA E ENCANTADORAS, MAIS SEU PODER É TÃO GRANDE QUE TODOS QUE OLHAM PRA ELAS VIRAM ESQUELETOS EM ÁRVORE . O ÚNICO SOBREVIVENTE IDENTIFICADO POR JOHN BIER, QUE CONSEGUIU FUGIR DE SEUS ENCANTOS, CONFESSOU QUE, NO ATO DO CONFRONTO  OLHOU  PARA UM RAIO E O DEIXOU CEGO ATE OS DIAS DE HOJE. MAIS O MESMO SENTIU SEU TOQUE GELADO E SEU PERFUME DE FLORES QUE USA AO SEDUZI SUA VÍTIMAS.


 

 



 CONTO GROTESCO-CRIAÇÃO DE RAQUEL OLIVEIRA. 


Os 3 tipos de suicídio


Por meio da análise de dados estatísticos, Durkheim verificou que há uma regularidade na taxa de suicídio no transcurso de um determinado período de tempo. Tais dados foram cruzados com variáveis que incluem a idade, o sexo, o lugar de residência, a religião, o estado civil.
A partir da análise do cruzamento dessas informações, foi possível ao autor desvelar as características sociais dos suicidados e apresentar explicações sobre as determinações sociais que influenciam ou causam o ato do suicídio.
Durkheim diferencia basicamente três tipos de suicídio:

Suicídio egoísta
É um ato que se reveste de individualismo extremado. É o tipo de suicídio que predomina nas sociedades modernas e é geralmente praticado por aqueles indivíduos que não estão devidamente integrados à sociedade e geralmente se encontram isolados dos grupos sociais (família, amigos, comunidade, por exemplo).

Suicídio altruísta
É um ato em que o indivíduo está tomado pela obediência e força coercitiva do coletivo, seja ele um grupo social restrito ao qual pertence ou mesmo a sociedade como um todo. Um exemplo típico de suicídio altruísta é o caso dos soldados japoneses que lutaram na Segunda Guerra Mundial e que ficaram conhecidos como camicases.
Ao lançarem as aeronaves em que pilotavam sobre os inimigos provocando sua própria morte, os camicases japoneses morriam em honra ao imperador, considerado por eles uma divindade. A variante contemporânea do suicídio altruísta são os atos terroristas praticados por fanáticos religiosos e extremistas políticos.

Suicídio anômico
Representa mais propriamente uma mudança abrupta na taxa normal de suicídio, geralmente marcado por uma vertiginosa ascensão do número de suicídios que ocorrem em períodos de crises sociais (o desemprego, por exemplo) ou processos de transformações sociais (como a modernização).







Infestação Diabólica





A infestação diabólica é considerada sempre uma ação direta do demônio sobre algum lugar, sobre objetos e também sobre animais; sendo este último muito raro de acontecer.
Este fenômeno considerado como Infestação é muitas vezes percebido devido a manifestações pouco comuns que podem acontecer nestes lugares como casas, sítios, fazendas; fazendo – se perceber por meio de ruídos estranhos, cheiros, por vezes barulhos que surgem do nada e que continuam sempre de maneira constante ou crescente!
Uma Infestação diabólica sobre algum lugar, objeto ou animal nunca provocará a possessão nas pessoas que vivem neste lugar ou tenham contato com os mesmos…
No caso de infestações em objetos, costuma – se testemunhar`que geralmente estes objetos onde presentes, sempre trazem algum tipo de “desconforto” – se assim posso dizer – sobre o lugar e as pessoas que convivem próximo ao mesmo.
Já vi pessoas que viveram estas realidades e dizem que tal objeto – que foi comprovado – que havia uma infestação diabólica no mesmo, provocava muitas brigas entre a família e que diminua a intensidade de oração das pessoas…
Contudo quero afirmar que é muito raro infestação em objetos e animais!
Geralmente a Infestação em lugares acontece porque no local foi realizado algum tipo de ritual satânico, ou a prática de crenças relacionadas ao ocultismo, evocação de mortos e coisas do tipo.



Existem no Ritual do Exorcismo orações próprias para lugares que possam estar sendo atingidos por uma Infestação diabólica.
Mas em geral mesmo se houver a verdade de uma infestação diabólica em algum lugar, o meio mais eficaz de combate – lá é a oração das pessoas que ali vivem! Podem ser realizados grupos de oração nestes lugares, orações do santo rosário, lerem a Bíblia em familia, expor uma imagem abençoada de algum santo, pode – se pedir para que algum sacerdote reze uma missa no lugar, que passe abençoando o lugar com aguá benta e coisas do tipo.
Mas quero aqui insistir que é muito raro este fenômeno acontecer e não podemos cair no erro de que uma pessoa tenha ouvido um barulho estranho na casa isso significa que há uma infestação; e nem mesmo porque há muitas brigas em casa há uma infestação; não, por isso sempre tratamos deste assunto com muita prudencia!




Guerra de Demonios Wallpaper

Monstros Horríveis




Os monstros aparecem em quase todas as culturas, em suas mitologias, folclores e lendas, e também na ficção, em livros e filmes de terror. Nestes contextos, o monstro encarna frequentemente a figura do Mal, que é derrotada por um herói ou cavaleiro que representa o Bem e as virtudes. Também são citados "monstros nas histórias infantis e cinematográficas. Em respeito as artes cinematográficas temos os exemplos do próprio Conde Drácula, o Frankenstein e até mesmo A Múmia, entre outros.

Monstros são, em geral, manifestações primitivas do medo subconsciente. Significa que são histórias contadas pelas avós. Podemos dizer sim, são lendas. Lendas do folclore brasileiro.Lobisomem, mula-sem-cabeça, iara, boitatá, saci-pererê, negrinho do pastoreiro e outras lendas que vem da imaginação do povo. Em alguns casos, lendas envolvendo monstros possuem um fundo de verdade em sua origem, por exemplo, em diversas civilizações antigas, são narradas lendas de criaturas com aspecto humano, hábito noturno, força sobrenatural, se alimentam de sangue humano e não envelhecem. Dai podemos chegar a conclusão de que nem todas as lendas são puramente fantasiosas. Há também muitos mitos e crenças de monstros e seres como o Frankenstein,etc. Esses mitos e crenças não são de origem Brasileira. Temos a festa do Halloween, "dia das bruxas" que comemora. Durante esse dia, é comum em alguns países as crianças andarem pelas ruas pedindo doces.









SERVOS DO MISTICISMO NEGRO

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...