Um Ritual Satânico especialmente para Você !


A. NOTAS QUE SÃO PARA SEREM OBSERVADAS
ANTES DE INICIAR O RITUAL

Pessoas praticando o ritual ficam em pé fixando o altar e o símbolo de Baphomet através do ritual, exceto quando outras posições são especificamente indicadas.
Se possível, o altar devem estar contra a parede oeste.
Em rituais realizados por uma pessoa o papel do sacerdote não é requerido. Quando mais de uma pessoa está envolvido na cerimônia, um deles deve agir como sacerdote. Num ritual privado o participante exclusivo segue as instruções do sacerdote.
Em qualquer momento em que as palavras "Shemramforash!" e "Hail Satan!" forem ditas pela pessoa agindo como sacerdote, os outros participantes repetirão a palavra após ele. O gongo é golpeado seguindo a resposta dos outros participantes de "Hail Satan!"
Conversar (exceto dentro do contexto da cerimônia) e fumar são proibidos após o sino ser repicado no início, até depois de voltar a ser repicado no fim do ritual.
O Livro de Belial contém os princípios da magia e ritual satânico. Antes de iniciar os rituais no Livro de Leviatã é imperativo que você leia e entenda o completo Livro de Belial. Até que você o tenha feito, nenhum grau de sucesso pode ser esperado dos trinta passos que se seguem.


B. OS TREZE PASSOS

Roupa para o ritual.
Artigos religiosos reunidos para o ritual; acenda as velas e apague toda luz de origem externa; coloque uma pele de ovelha ou cabra para direita ou esquerda do altar conforme indicado.
Se uma mulher é usada como altar ela agora toma sua posição - cabeça apontando o sul, pés apontando o norte.
Purificação do ar tocando o sino.
Invocação de Satã e nomes infernais que seguem (veja o Livro de Leviatã) são agora lidos em voz alta pelo sacerdote. Participantes deverão repetir cada nome infernal depois que ele tenha sido dito pelo sacerdote.
Beba do cálice.
Voltando para o sentido antihorário, o sacerdote aponta com a espada para cada ponto cardeal da área restrita e chama adiante os quatro Príncipes do Inferno: Satã do sul, Lúcifer do este, Belial do norte e Leviatã do oeste.
Realiza bênção com o phallus (se um é usado).
O sacerdote lê alto a invocação apropriada para a cerimônia respectiva: Luxúria, Compaixão ou Destruição.
No caso de um ritual personalizado este passo é extremamente importante. Solidão é compatível com a expressão dos desejos mais secretos, e nenhuma tentativa de guardá-los deverá ser feita na sua realização, verbalizando, ou lançando as imagens pertinentes aos seus desejos. É este passo que sua gravura é desenhada, arranjada ou enviada fora para o recipiente do seu trabalho.
(A) Para invocar alguém pelo luxurioso propósito de estabelecer
uma situação sexualmente gratificante

Deixe a área do altar e se retire para outro lugar, no mesmo cômodo ou fora dele, que será mais condutivo ao trabalho do respectivo ritual. Então forme a imagem mais completa que possa que se assemelhará do modo o mais exato possível à situação em direção da qual se empenha. Lembre-se, você tem cinco sentidos para usar, então não sinta que você deve limitar sua imagem a um. Aqui estão artifícios que podem ser empregados (apenas um, ou em qualquer combinação):

a) imagem gráfica, como desenhos, pinturas etc.
b) imagem escrita, como histórias, peças, descrições dos desejos e o eventual resultado dos mesmos.
c) imaginando o desejo vividamente ou numa peça curta, seja a si mesmo ou retratando o papel do objeto do seu desejo (transferência), usando qualquer estratagema necessário a intensificar a imagem.
d) quaisquer odores relativos à pessoa desejada ou situação.
e) quaisquer músicas ou sons de fundo condutores a uma forte imagem.

Sentimento sexual intenso deveria acompanhar este passo do ritual, e depois de ser obtida suficiente imagem, o orgasmo mais forte possível deveria servir de clímax para este passo. Este clímax poderia ser alcançado usando qualquer meio masturbatório ou auto-erótico necessário. Após o orgasmo ser obtido, retorne ao local do altar e proceda com o passo 11.


(B) Para assegurar auxílio ou sucesso para alguém que tem sua
simpatia ou compaixão (incluído a si mesmo)

Permaneça bem próximo ao altar e com a imagem mental o mais vívida possível da pessoa que você deseja ajudar (ou uma intensa auto-compaixão), declare seu desejo em seus próprios termos. Suas emoções deverão ser o mais genuínas possíveis, elas estarão acompanhadas pelo derramamento de lágrimas, que deverão ser permitidas fluir sem restrição. Depois deste exercício no sentimento estar completo, proceda com o passo 11.

(C) Para causar a destruição de um inimigo

Permaneça na área do altar a menos que a imagem seja mais facilmente obtida em outro lugar, tal como na vizinhança da vítima. Produzindo a imagem da vítima, proceda a infligir a destruição sobre a efígie da maneira da sua escolha. Isto pode ser feito dos seguintes modos:

a) fixando com alfinetes ou pregos num boneco representando sua vítima; o boneco pode ser de pano, cera, madeira, matéria vegetal etc.
b) a criação de imagem gráfica descrevendo o método de destruição da sua vítima; desenhos, pinturas etc.
c) a criação de uma descrição literária vívida do final definitivo da sua vítima.
d) um detalhado solilóquio (monólogo - parênteses meus) dirigido à vítima pretendida, descrevendo seus tormentos e aniquilações.
e) mutilação, injúria, inflição de dor ou doença por procuração usando quaisquer outros meios ou estratagemas desejados.


Intenso, calculado ódio e desdém deveriam acompanhar este passo da cerimônia, e nenhuma tentativa seria feita para parar esse passo até que a energia gasta resultasse num estado de relativa exaustão da parte do mágico. Quando acontecer o esgotamento, proceda com o passo 11.

11. (a) Se os pedidos são escritos, eles agora são lidos alto pelo sacerdote e então queimados nas chamas da vela apropriada. "Shemhamforash!" e "Hail Satan!" é dito depois de cada pedido.
11. (b) Se os pedidos são fornecidos verbalmente, os participantes (um de cada vez) revela-os agora ao sacerdote. Ele então repete em suas próprias palavras (aquelas que são mais emocionalmente estimulantes para ele) o pedido. "Shemhamforash!" e "Hail Satan!" é dito após cada pedido.
12. A chave enoquiana apropriada é agora lida pelo sacerdote, como evidência da fidelidade dos participantes aos Poderes das Trevas.
13. Tocar o sino como poluidor (a palavra é pollutionary; não encontrei tradução - parênteses meus), e então as palavras "Assim está feito" são ditas pelo sacerdote.


SERVOS DO MISTICISMO NEGRO

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...